Tumor neuroendócrino pancreático (pNET)

Tumor neuroendócrino pancreático (pNET)

O tumor neuroendócrino pancreático é um tipo raro de câncer, responsável por 5% dos casos da doença. Ele se desenvolve a partir de células endócrinas do pâncreas, que passam a produzir hormônios de forma irregular. Existem dois tipos principais: os tumores funcionais, que produzem uma quantidade em excesso de hormônio, e os tumores não funcionais, que são mais raros e não produzem hormônios.

O pâncreas é um órgão localizado entre o estômago e a espinha. Ele tem duas funções principais: a primeira é produzir o suco pancreático, líquido responsável por digerir proteínas, carboidratos e gorduras; e a segunda é produzir e liberar hormônios para regular o nível de açúcar no sangue (a insulina), a absorção de alimentos, o nível de água nos intestinos e a produção de enzimas ácidas no estômago.

Fatores de risco do tumor neuroendócrino pancreático

Os fatores de risco do tumor neuroendócrino pancreático ainda são desconhecidos, ele se desenvolve sem razão aparente. Entretanto, existem duas condições que podem aumentar as chances de desenvolver o pNET:

  • Diabetes;
  • Tabagismo.

Sinais e sintomas do tumor neuroendócrino pancreático

Os sinais e sintomas do tumor neuroendócrino pancreático funcional não são específicos e dependem do tipo de hormônio que é produzido em excesso. Apresentar algum dos sintomas abaixo não significa que você está com a doença, mas procure um médico para ele identificar a causa e indicar o tratamento adequado. Veja quais sinais e sintomas podem ser dependendo do hormônio:

Gastrina hormônio responsável por liberar o ácido gástrico.

  • Úlcera grave;
  • Refluxo;
  • Dor no abdômen;
  • Diarreia;
  • Gordura nas fezes;
  • Perda de peso.

Glucagon – hormônio responsável por controlar os níveis de açúcar no sangue.

  • Níveis altos de açúcar no sangue;
  • Inchaço;
  • Irritação na pele;
  • Ferida na boca;
  • Anemia;
  • Perda de peso.

Insulina – hormônio responsável por controlar os níveis de açúcar no sangue.

  • Hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue).

Somatostatina - possui várias funções, como parar a liberação de outros hormônios gastrointestinais.

  • Diabetes;
  • Cálculos biliares;
  • Perda de peso;
  • Diarreia;
  • Gordura nas fezes;
  • Náuseas e vômitos.

Peptídeo intestinal vasoativo (VIP) – hormônio que secreta água e minerais.

  • Diarreia aquosa severa, que pode abaixar os níveis de potássio no sangue causando fraqueza muscular;
  • Fadiga;
  • Náusea.

os tumores neuroendócrinos pancreáticos não funcionais, por não causarem excesso de produção de hormônios, não possuem sintomas específicos. Por isso, eles são detectados tardiamente, quando o tamanho do tumor passa a causar dores ou a pele fica amarelada (icterícia).

Diagnóstico do tumor neuroendócrino pancreático

Como os sinais e sintomas do tumor neuroendócrino pancreático não são específicos, geralmente é descoberto quando a doença já está avançada e os sintomas principais já estão presentes. Para diagnosticar com precisão, é necessário realizar exames endócrinos e exames de imagem para identificar o tamanho, tipo e evolução do tumor.

Tratamentos para o tumor neuroendócrino no pâncreas

O tratamento do tumor neuroendócrino pancreático depende de alguns fatores, como o local em que ele está localizado e o estado de saúde geral do paciente, mas existem as seguintes opções:

Terapia alvo utiliza medicamentos que atuam diretamente nas células cancerígenas. É feita quando o tumor neuroendócrino pancreático já está em estágio avançado, o que acontece na maioria dos casos, já que é um tipo de câncer difícil de ser identificado no início.

Quimioterapia – dependendo do caso, as substâncias usadas no tratamento podem ser injetadas no paciente ou tomadas por via oral. É utilizada quando os tumores não estão mais em estágios iniciais.

Radioterapia – é possível usar diferentes tipos de radiação para destruir células cancerígenas. É utilizada somente quando o tumor neuroendócrino pancreático se espalhou para os ossos do paciente.

Cirurgias - se o câncer puder ser totalmente removido, a cirurgia é a opção normalmente escolhida. Existem diferentes tipos de procedimentos cirúrgicos: a enucleação é realizada quando o tumor está em estágio inicial e pode ser totalmente retirado; no procedimento de Whiple, que é o tratamento mais comum, a cabeça do pâncreas (onde 75% dos tumores são encontrados) é removida; já a cirurgia para tumor em metástase é indicada quando o tumor se espalhou para outras áreas.

Após uma cirurgia, deve ser feito o acompanhamento médico para verificar se existem sinais da volta da doença no pâncreas ou em outras partes do corpo. Mas só um médico pode indicar qual o tipo adequado de tratamento para cada caso de tumor neuroendócrino pancreático. Converse com ele sobre as opções possíveis.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1310