Tumor gastrointestinal (GIST)

Tumor gastrointestinal (GIST)

O tumor gastrointestinal é um tipo de câncer que se desenvolve no sistema digestivo. Ele pode afetar esôfago, estômago, intestino delgado, intestino grosso e reto, mas 70% dos casos ocorrem no estômago ou no intestino. A doença começa na parede dos órgãos, junto às camadas musculares, e atinge cerca de três a cinco mil pessoas no Brasil por ano.

Fatores de risco do tumor gastrointestinal

Não há causas comprovadas da doença, mas existem alguns fatores de risco do tumor gastrointestinal. Veja quais são:

Idade – os GISTs podem ocorrer em qualquer idade. Porém, são mais comuns em pessoas entre 50 e 80 anos e raramente acontecem antes dos 40 anos.

Síndromes genéticas – apesar de não haver comprovação científica que o tumor gastrointestinal é hereditário, há casos raros de pessoas da mesma família que herdaram uma mutação genética que pode causar GIST.

Sinais e sintomas do tumor gastrointestinal

É possível que não existam sinais e sintomas do tumor gastrointestinal no início. Mas, em longo prazo, a doença pode causar anemia, o que gera cansaço e fraqueza. Ela também pode provocar hemorragias no sistema digestivo. Se o sangramento for pequeno, as fezes podem ficar escuras. Se for no estômago ou esôfago, é possível que cause vômitos com sangue. Veja outros sinais e sintomas que o tumor gastrointestinal pode provocar:

  • Dor de estômago ou abdominal;
  • Inchaço no abdômen;
  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Dificuldades para engolir.

Mesmo que você tenha um ou mais dos sinais e sintomas relacionados acima, isso não significa que seja um tumor gastrointestinal. Mas, procure um médico o quanto antes para ele diagnosticar o problema e indicar o melhor tratamento para o seu caso.

Diagnóstico de tumor gastrointestinal

Utrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética são os exames de imagem indicados para auxiliar no diagnóstico da doença. A endoscopia e a colonoscopia também são utilizadas para localizar possíveis tumores no estômago e no intestino.

Porém, para confirmar a presença dos GISTs, a biopsia é fundamental. É por meio deste procedimento que o médico saberá o aspecto do tumor gastrointestinal para poder sugerir a melhor forma de tratamento.

Tratamento de tumor gastrointestinal (GIST)

Terapia alvoutiliza medicamentos para identificar e atacar as células cancerígenas sem provocar muitos danos às células normais. Este tipo de medicação pode retardar, bloquear e também diminuir o tamanho do tumor gastrointestinal, além de conter a disseminação do câncer pelo corpo.

Cirurgia – quando o tumor é pequeno, a cirurgia é o tratamento mais indicado para retirar o tumor. Em áreas de difícil acesso, tumores maiores podem precisar de uma cirurgia mais complexa. Mas há tumores que não podem ser removidos cirurgicamente por causa da disseminação e extensão da doença.

Ablação tumoral – existem três tipos. Na ablação por radiofrequência, uma sonda emite ondas de rádio de alta frequência para destruir as células cancerígenas. Na criocirurgia, as células tumorais são congeladas. Ambos os procedimentos são indicados para tumores menores. Há também a ablação por etanol, que injeta uma quantidade concentrada de álcool no tumor.

Embolização substâncias são injetadas para tentar bloquear ou reduzir o fluxo sanguíneo para as células cancerígenas em casos de contaminação do fígado.

Radioterapia a radioterapia não é muito eficaz para tratar tumores gastrointestinais, por isso é raramente utilizada. Entretanto, pode ser útil para aliviar sintomas, como a dor óssea.

O tipo de tratamento depende de cada caso. Só o médico pode indicar o tratamento ou o conjunto de terapias mais indicadas para cada pessoa. Converse com ele sobre as opções disponíveis.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1310 - Setembro/2018