Artrite reumatoide

Artrite reumatoide

Cerca de 1% da população brasileira sofre de artrite reumatoide (AR), doença que causa inflamações nas articulações provocando dores intensas. Conforme a inflamação avança, pode prejudicar alguns movimentos que até então eram simples de realizar, como agachar ou subir escadas, e até incapacitar a pessoa. Descubra quais são os fatores de risco, o que fazer para se prevenir e como é o tratamento.

A artrite reumatoide é uma doença autoimune, o que significa que o sistema imunológico ataca o próprio organismo por engano. Ela não é contagiosa e, geralmente, atinge as mesmas articulações nos dois lados do corpo. Ou seja, se o joelho esquerdo está inflamado, é muito provável que o direito também esteja.

Além disso, ela aumenta as chances de desenvolver doenças cardiovasculares e pode atingir outras partes do corpo, como olhos, pulmões e nervos, provocando diferentes problemas de saúde. Dependendo da gravidade e das complicações, é possível que a doença diminua a expectativa de vida em cinco a dez anos.

Fatores de risco da artrite reumatoide

Não há causas comprovadas da AR, mas alguns fatores de risco de artrite reumatoide são conhecidos, veja quais são:

Fatores não controláveis

  • Sexo – mulheres são três vezes mais atingidas do que homens;
  • Idade – é mais frequente entre 30 e 50 anos;
  • Histórico familiar – ter parente de primeiro grau com artrite reumatoide aumenta o risco de desenvolver a doença.

Fatores controláveis

  • Tabagismo – tanto fumar quanto inalar a fumaça do cigarro aumenta o risco de artrite reumatoide;
  • Obesidade – também aumenta as chances de desenvolver a doença;

Prevenção da artrite reumatoide

Para a prevenção da artrite reumatoide, é importante evitar os fatores de risco controláveis adotando os seguintes hábitos:

Mantenha o peso ideal – procure manter o peso sugerido pelo médico. Peça para ele orientação sobre alimentação saudável e também sobre exercícios físicos que você possa praticar diariamente.

Pare de fumar – deixar o cigarro de lado pode ajudar a evitar não só a artrite reumatoide, mas também outras doenças, como enfisema e câncer de pulmão.

Sinais e sintomas da artrite reumatoide

No início, geralmente, a artrite reumatoide compromete as articulações que unem os ossos da palma da mão com os dedos e as mesmas juntas nos pés. Com o avanço da doença, joelhos, punhos, tornozelos, ombros e quadril também ficam inflamados. Veja os principais sinais e sintomas da artrite reumatoide:

  • Articulações doloridas, inchadas, avermelhadas e quentes;
  • Articulações rígidas, principalmente durante a manhã;
  • Articulações deformadas;
  • Perda de peso sem mudança de hábitos alimentares;
  • Fadiga;
  • Febre.

Mesmo que você tenha um ou mais dos sinais e sintomas relacionados, não significa que seja AR. Procure um médico para diagnosticar o problema e indicar o melhor tratamento para o seu caso.

Diagnóstico da artrite reumatoide

Além da avaliação no consultório, o médico pode pedir os seguintes exames para fazer o diagnóstico da artrite reumatoide:

Exames de sangue – não há um específico para identificar a doença. A presença de fator reumatoide pode ser um indicativo, embora a AR possa acontecer sem que o fator exista, bem como não se desenvolver mesmo que ele esteja presente. A proteína C Reativa (PCR), que indica se há inflamação, é outro sinal avaliado.

Exames de imagem – radiografias, ultrassonografias e tomografias permitem ver alterações nas articulações.

Se os exames não forem conclusivos para o diagnóstico da artrite reumatoide, isso não significa que você não esteja com a doença. Alguns casos só são identificados quando a AR avança um pouco.

Tratamento da artrite reumatoide

Como é uma doença crônica, ou seja, não há cura, o tratamento da artrite reumatoide é voltado para aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida. O tipo de tratamento varia de acordo com a gravidade da doença, veja as possibilidades:

Medicamentos – existem algumas classes de medicamentos para diminuir a inflação e as dores, bem como alterar a evolução da doença e até a resposta do organismo a ela, tais como:

  • Anti-inflamatórios não hormonais (AINH) - diminuem a inflamação;
  • Analgésicos – aliviam a dor;
  • Corticoides - diminuem inflamação e dor;
  • Medicamentos modificadores do curso da doença (DMCD) - aliviam sintomas e alteram a evolução da AR;
  • Medicamentos modificadores de respostas biológicas (MRBS) - inibem uma substância responsável pela inflamação e danos.

Fisioterapia e terapia ocupacional – algumas técnicas diminuem a tensão nas articulações, aliviando as dores e a rigidez muscular, o que ajuda a recuperar os movimentos.

Exercícios físicos – exercícios aeróbicos que não tenham impacto nas articulações, exercícios de força com carga moderada e alongamentos fortalecem as articulações. Mas só comece um treinamento depois que o médico fizer uma avaliação e indicar quais tipos de exercícios você pode fazer.

Repouso – contribui para diminuição das inflamações. Porém, ficar em repouso mais de 30 minutos piora a rigidez muscular. Siga as orientações do médico sobre intercalar períodos de repouso e exercícios físicos.

Cirurgia – pode ser indicada quando a artrite reumatoide causar deformações muito severas nas juntas e a pessoa não reagir bem ao tratamento com medicamentos ou fisioterapia.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1310